sábado, 13 de dezembro de 2008

vamo mudar de rumo?

Certo..ferias isso me remete a casa e tudo mais...como meu unico meioa acessivel de conhecimento(suspeitavel)+ ainda é o viavel,começo ver a internet como fonte de enriquecimento dividirei durante as ferias o que achar de interessante e incomodante...rsrsrrs
e para começar um poema uma ode a minha disciplina que apesar de que em um momento me mostrei fresca mas graça a ajuda de uma pequena grande amiga ,transcendi...rs(flw fernanda)

a poesia de Armando Freitas Filho. É dele este poema em prosa, a propósito de uma foto que é outro poema:

Nua, anónima, 1923. Vinte anos presumíveis,
branca, em decúbito dorsal, com o tronco
arqueado (talvez pela respiração presa
no instante único da foto, ou melhor:
foi a foto que a susteve, a suspendeu
para sempre), e mais o cheiro, parado
do grosso cabelo preto do púbis
do pouco que aparece nas axilas não raspadas
que saboreio, degusto, engulo em seco
sinto o gosto, agora, porque a pele
do corpo é de hoje, setenta e oito anos depois
e brilha, lisa, morena de sol, sem nenhum sinal
de vida, porém. Teus olhos fechados te encerram.”

Armando Freitas Filho

2 comentários:

Nah disse...

aaahh AMEI! Deu vontade de pegar imediatamente um livro da Hilda Hilst (saúde! XD)
Quem é esse cara?! Armando Freitas Filho, quero consumir mais disso! Fica por sua conta... Coloquei teu blog na minha lista... Exigo (exijo... ezijo XD) Postagens frequentes! hehe
Beijos, moppet! =*

6son! disse...

eitaeita..por 3 meses tamos aew...rsrsr